Carregando...

Ajudando a criança a lidar com a morte

Enquanto os pais precisam lidar com a própria dor por ter perdido alguém, eles também são confrontados com a tarefa de explicar a morte aos filhos. As crianças não entendem completamente o conceito de morte até os sete/oito anos de idade. A maioria delas veem a morte como algo não-permanente, ou seja, reversível.

Os pais podem ajudar as crianças a compreender o ciclo da vida, usando exemplos simples da natureza, como uma rosa que morre na roseira, permitindo uma nova rosa a florescer. É muito positivo explicar, com palavras simples, que todas as coisas – plantas, animais e pessoas – morrem e que isso faz parte da natureza e de como somos feitos. É fundamental ser honesto. As crianças gostam de saber a verdade. Suavizar a notícia com eufemismos como “Vovó foi dormir”/”Titio viajou” pode levar a criança a esperar que a avó acorde e que o tio volte da viagem.

Crianças pequenas podem precisar ouvir repetidas vezes que a pessoa não vai voltar. Assim como os adultos, as crianças experimentam uma mistura de emoções depois da morte de um ente querido. É importante mostrar para elas que é normal sentirem-se assim e ajudá-las a compreender que tipos de sentimentos estão sentido.

Ser sincero é muito importante para ajudar a criança a lidar com a morte de alguém querido
Ser sincero é muito importante para ajudar a criança a lidar com a morte de alguém querido

Os pais podem presumir que ir a um funeral irá traumatizar os filhos, mas o ritual pode ser parte do processo de luto da criança. Prepará-los para o funeral, explicar como será o local, quem estará lá e como as pessoas se comportarão é importante! Depois de explicar como acontecerá o ritual, dê à criança o poder de escolha: se ela deseja ir ou não. Além disso, certifique-se de que ela poderá ir embora na hora em que quiser, e que não precisará ficar lá mais tempo do que suporta.

 

(Leia outro post semelhante aqui)