Carregando...

Objeto transicional

Muitas crianças se apegam a um cobertor, um urso de pelúcia, ou algum outro objeto que usam para o conforto na hora de dormir e em outras situações quando precisam se acalmar. O termo psicológico para isso é “objeto transicional”. Por quê? Porque, conforme os bebês começam a fazer a viagem de recém-nascido totalmente dependente rumo a ser um adulto independente, ter um objeto pode ajudá-lo com essa transição.

objeto transicional

Cerca de 50% a 60% das crianças desenvolvem uma ligação com algum tipo de objeto de conforto, por volta de 8 a 12 meses de vida. O uso desse objeto para proporcionar conforto é puramente uma questão de temperamento individual.

Esse objeto tem um cheiro, uma textura e uma aparência familiar. É um lembrete portátil do conforto e da segurança de casa e dos pais. Além de permitir que as crianças sintam-se mais confiantes a medida que passam a se aventurar no mundo longe dos pais.

Apego ao objeto transicional

Não se preocupe que o seu filho pode ser muito apegado ao objeto; e ter um objeto desse não é um sinal de insegurança. Estes objetos não são apenas um sinal de desenvolvimento saudável, mas servem também para um propósito valioso: são úteis em qualquer situação onde a criança sente ansiedade ou estresse. Um objeto transicional é um item que permanece constante; ele não vai embora ou muda, e isso ajuda a criança a se sentir segura!