Carregando...

Segunda gravidez – A chegada de um irmãozinho

Olá mamães e papais, tudo bem?! Vocês estão pensando em ter um segundo filho e não sabem como lidar com o primogênito? Vocês estão “grávidos” e, desde então, passam dificuldades com o mais velho? O Divã veio te ajudar!

Como preparar o filho único para a chegada de um irmãozinho? Se você está grávida pela segunda vez, deve estar preocupada com a transição de filho único para irmão mais velho. Como e quando contar? Qual é a reação esperada? Vamos lá… primeiro de tudo é essencial lembrarmos que não existe receita! Cada um encara os desafios de uma maneira. Entretanto, existem algumas coisas que podemos fazer para tentar minimizar o sofrimento dos mais velhos e evitar que o nascimento do irmão seja sentido como algo tão ameaçador.

 

segunda-gravidez

É muito importante que a notícia seja dada pelos pais, e não pela vovó ou pela professora, ok? Quando contarem, sejam positivos, mas evitem fazer promessas de que o bebê vai ser uma ótima companhia para brincar, porque isso não vai acontecer por um tempo, e só provocará decepções no mais velho. Crianças não tem a noção de tempo como nós, adultos. Para elas o tempo não é medido em dias, meses ou anos. Por isso, temos que ter cuidado ao dizer “você vai ganhar um amiguinho para brincar!”. Nós sabemos que bebês não brincam como os mais velhos e, por mais que passe rápido pra gente essa fase, pro primogênito vai ser frustrante esperar um novo companheiro de brincadeiras e se deparar com uma pessoa que chora, não fala, não anda e não sabe brincar das coisas que ele mais gosta!!!

Mas… o que você pode fazer? Dizer que, de início, o irmãozinho não vai conseguir brincar de tudo, mas que aos poucos ele poderá compreender as coisas, e que ele, como mais velho, poderá ser um belo ajudante ou um professor para ensiná-lo as brincadeiras que ele curte! Explique para ele que os bebês choram porque ainda não aprenderam a falar. Conte para ele que ele já foi assim… que tal mostrar fotos dele bebê?? É uma ideia muito legal para que ele reconheça que seu irmão também crescerá, e não será assim para sempre. Às vezes, a leitura de um livro sobre ser um irmão mais velho pode ajudar a reduzir as expectativas.

Seu filho pode e deve expressar pensamentos positivos e negativos sobre o seu irmãozinho, e isso é normal. Deixe que ele fale sobre o assunto, exponha sua raiva, seus medos e desejos em relação a esse novo membro da família. Que tal envolvê-lo nos preparativos para a chegada do bebê? Assim, ele se sentirá incluído. Sugira que ele fale com o pequeno dentro de você, se ele quiser. Ao se envolver com os preparos para a chegada do bebê (a escolha do nome, da cor do quarto, etc) o seu filho mais velho pode sentir-se mais parte disso tudo, e ter menos ciúme.

Quando estiver perto da data do parto, conte ao seu filho que você irá pro hospital e onde ele irá dormir durante esse tempo. Se ele desejar pode te ajudar a arrumar sua mala da maternidade, a do bebê e a própria também. Coloque uma foto do casal com o mais velho junto com suas coisas e, acima de tudo, ao longo de sua gravidez e após o parto, diga sempre pro seu filho o quanto você o ama, e que a chegada do irmãozinho não mudará esse sentimento!

Falaremos mais sobre irmãos aqui no Divã! Comente e conte sua história!

Todo o conteúdo deste site, incluindo informações relacionadas à saúde, é apenas  para fins informativos e não deve ser considerado um diagnóstico específico ou plano de tratamento para qualquer situação. O uso deste site e as informações contidas nele não cria uma relação médico-paciente. Procure sempre o aconselhamento individual de um profissional em relação a quaisquer dúvidas ou questões que você possa ter em relação a sua própria saúde física ou mental ou a de outras pessoas.

4 thoughts on “Segunda gravidez – A chegada de um irmãozinho

  1. Olá! Tenho uma filha de 3 anos e um filho de 1 ano e quando engravidei dele, fiquei paranoica com essa preocupação. Mas acabou que foi tudo dentro do esperado. Ela teve algumas alterações no comportamento por conta do ciúme e da atenção que não era mais só dela, mas com amor e paciência soubemos lidar, explicar, ensinar e hoje ela ama de paixão o irmãozinho, cuida dele, dá água na boca, limpa a mãozinha dele, me avisa quando ele está correndo algum perigo durante as travessuras….rs É uma delícia! Tem que ter amor. O amor ultrapassa todas as barreiras.
    bjs Camila Vaz

    1. Camila, obrigada por dividir sua história!
      Fico feliz em saber que sua filha hoje já se adaptou e se apaixonou pelo irmão! 🙂
      O amor é realmente a arma mais poderosa!
      Beijos

  2. Adorei!!
    Estou na segunda gravidez e minha filha tem 2 anos e 4 meses. Desde já estou conversando com ela de forma positiva sobre o irmãozinho e até compramos plantinhas para todos os membros da família. Quando perguntamos de quem são as plantinhas ela responde que são do papai, da mamãe de laurinha e do irmãozinho. É muito fofo!

    1. Ariadne, que ideia linda essa das plantinhas! Adorei, de verdade!
      Obrigada pela visita! E muita saúde pra você e pro baby na sua barriga :] e, claro, muita felicidade pra Laurinha!
      Beijos

Comments are closed.