Carregando...

Conversando sobre xixi na cama

“Enurese noturna” é o termo médico para a incontinência urinária que afeta crianças de 5 anos ou mais que molham a cama pelo menos duas vezes por semana, durante pelo menos três meses. A genética desempenha um papel nessa situação – médicos afirmam que se um dos pais teve enurese noturna, então há uma chance de 40% do filho também ter.

Pesquisas informam que a enurese afeta mais de 6% de todas as crianças nos Estados Unidos, e cerca de 15% das crianças de 5 anos molham a cama quase todas as noites. A pesquisa mostra que a enurese é cerca de 2 vezes mais comum em meninos. Você sabia que muitas vezes não há nenhum problema físico por trás do xixi na cama?

As crianças que se mantem secas durante todo o dia, mas fazem xixi na cama durante a noite, podem produzir mais urina à noite do que as outras crianças, ter uma bexiga menor, e podem dormir profundamente, tendo um tempo de latência na comunicação entre o cérebro e a bexiga. Médicos especialistas dizem que muitas vezes é impossível identificar qual combinação desses fatores é a culpada pela enurese.

Você sabia que prisão de ventre também pode ser uma das causas? Se a criança adia a ida ao banheiro e segura as fezes, o intestino pode acabar pressionando a bexiga, causando a incontinência. Existem exames que podem acusar se há um excesso de fezes no intestino da criança. Se isso for identificado há um tratamento com laxantes que em poucos meses podem por fim no xixi na cama. (Todo tratamento deve ser acompanhado por um médico)

Enquanto há coisas que podemos fazer para tentar ajudar a criança a ter noites sequinhas, o objetivo mais importante é preservar sua auto-estima.

xixi-na-cama

Uma criança de 5 anos que ainda molha a cama também sofre de problemas como a baixa auto-estima, além dos receios de atividades sociais que envolvam a possibilidade de dormir fora de casa. Isso pode causar problemas sociais que podem durar por muitos anos! Os pais tem que se lembrar que o problema do filho não é pessoal. Claro que ele preferiria estar em uma cama seca – ele não está tendo esses acidentes por preguiça. Pense nisso: Como é que ele deve se sentir ao acordar, com lençóis molhados, e depois ver o olhar de decepção e irritação dos seus pais? E o constrangimento se isso acontece em uma festa do pijama, na casa de um amiguinho? É por isso que especialistas advertem contra qualquer tipo de disciplina para a incontinência urinária, pois isso pode realmente ser prejudicial para a auto-estima da criança e gerar ainda mais insegurança.

Para ajudar a preservar a auto-imagem do filhote, é legal contar à criança se havia outras pessoas que faziam xixi na cama na família. É reconfortante quando uma criança aprende que outras pessoas, incluindo parentes, tiveram o mesmo problema. Pode-se conversar também sobre o fato de que alguns de seus amigos podem muito bem molhar a cama também!

É importante, quando você está treinando seu filho de 5 anos de idade a não fazer xixi na cama, que você não mostre nada além de bondade, compreensão e paciência. Uma criança que está sofrendo de enurese noturna já tem vergonha de seu comportamento, e se você mostrar raiva nestes momentos importantes, pode danificar ainda mais a sua auto-estima e aumentar a ansiedade.

Em breve falaremos mais sobre xixi na cama aqui no blog. Mande suas dúvidas!

* Todo o conteúdo deste site, incluindo informações relacionadas à saúde, é apenas para fins informativos e não deve ser considerado um diagnóstico específico ou plano de tratamento para qualquer situação. O uso deste site e as informações contidas nele não cria uma relação médico-paciente. Procure sempre o aconselhamento individual de um profissional em relação a quaisquer dúvidas ou questões que você possa ter em relação a sua própria saúde física ou mental ou a de outras pessoas.

5 thoughts on “Conversando sobre xixi na cama

  1. Olá Maria Cecília! Adorei seu blog. Por aqui não temos mais essas questões do xixi, mas sabemos bem como é essa fase. Também acreditamos na paciência e na conversa nesses momentos. Beijos!

    1. Obrigada pela visita, Gisa. Que bom que já passaram dessa fase! Acaba sendo desconfortável para toda a família. Mas, felizmente, tem muitas soluções! Beijos, Maria Cecília

    1. Oi Desirée! A mudança de rotina realmente é um dos fatores que pode “atrasar” um pouco o desfralde. Viva uma vida sem fraldas (mas na hora certa! rs). Além do mais, quanta economia esse desfralde traz né? Imagino como foi com 3! rs
      Beijos! Maria Cecília

Comments are closed.