Carregando...

A morte de um animal de estimação

bicho

Para uma criança, perder um animal de estimação pode ser mais difícil do que perder um parente. O impacto da morte de um bichinho pode ser mais profundo para uma criança do que para um adulto, por isso é importante levar sua dor a sério. Muitas vezes, a morte de um animal de estimação é a primeira grande perda que a criança passa na vida.

Se o bichinho está envelhecendo ou doente, converse com seus filhos antes que ele morra, de forma a “prepará-los” e dar-lhes a chance de dizer adeus. Se o animal morrer de repente, explique o que aconteceu de forma simples, e permita que as crianças façam perguntas. Evite encobrir a verdade com uma mentira; dizer “Max fugiu” ou “Rex viajou” não vai aliviar a tristeza de perder o animal de estimação.

Os pais muitas vezes tendem a evitar o assunto com as crianças, a fim de preservá-las, mas a melhor maneira de lidar com isso é falar sobre a morte com clareza e respondendo às perguntas. Para a criança pequena a capacidade de aceitar a morte do bichinho ainda não está elaborada e, quanto maior a conexão com o bichinho, maior será a necessidade de acolhimento e explicação dos pais. É fundamental que os pais mostrem que também estão tristes e que vão superar essa perda juntos.

Pergunte ao seu filho se ele gostaria de realizar uma cerimônia para o animal de estimação – plantar uma flor ou uma árvore em sua homenagem, ou criar uma caixa de memória com fotos e mensagens. Essas cerimônias podem e devem ser feitas quando a criança experienciar a morte de qualquer ente querido, pois elas simbolizam uma despedida com maior concretude.