Carregando...

Papo de Veterinário – Gestantes, crianças e bichos.

Papo de Veterinário! – Post escrito pela Janaína (médica veterinária e mãe da linda Tereza.)

Muitas pessoas, e até mesmo alguns profissionais da área da saúde, ainda acreditam que animais podem ser prejudiciais à saúde das crianças.

Diversos trabalhos realizados no mundo todo já provaram que o convívio de crianças com animais traz inúmeros benefícios ao desenvolvimento tanto da parte locomotora como social desse pequeno ser humano. Lógico que alguns cuidados são necessários para que essa convivência não traga problemas de saúde.

Cães e gatos devem passar por consultas de rotina a cada 6 meses, receber as vacinas anuais e medicamentos contra parasitas intestinais a cada 4 meses. Importante também realizar o controle de ectoparasitas (como pulgas e carrapatos) mensalmente. Manter banhos periódicos irá auxiliar na saúde do animal e, consequentemente, das crianças que convivem com o mesmo. A castração é sempre bem vinda, pois além de beneficiar o animal evitando diversas doenças, também colabora muito com o temperamento positivo do mesmo.

É muito comum o gato se tornar um “vilão” quando sua dona receber a confirmação de uma gestação. Isso ocorre devido à informações errôneas sobre a tão temida toxoplasmose. Isso é um antigo mito. A toxoplasmose é uma doença causada pelo parasita Toxoplasma Gondii. Nas gestantes esse parasita pode causar aborto, prematuridade, morte fetal e algumas malformações. A principal forma de contaminação é através da ingestão de carnes cruas ou “mal passadas” e saladas ou frutas mal lavadas. Os gatos são considerados hospedeiros desse parasita. Isso ocorre somente quando esses animais são alimentados com carne ou vísceras cruas, ou quando possuem o hábito de caçar ratos e aves, por exemplo. Nas suas fezes são eliminadas as formas “inativas” do parasita, chamadas de Oocistos. Essas formas inativas precisam ficar expostas em temperatura ambiente por no mínimo 24 horas para se tornarem infectantes (Oocistos esporulados). E a única forma de infecção é através da ingestão desses Oocistos Esporulados. Lembrando que esses gatos geralmente eliminam os Oocistos inativos nas fezes por um período de aproximadamente 2 semanas após a ingestão do parasita, apenas uma vez na vida.

© Goodshoot
© Goodshoot

Portanto, o gato só irá transmitir toxoplasmose caso se: 1. Ele se alimentar de carne crua ou animais mortos; 2. Ele for portador do parasita; 3. Ele estiver na fase de eliminação dos oocistos; 4. Seus dejetos não forem retirados em até 24 horas; 5. A gestante ingerir os oocistos esporulados.

Como podem ver, não é tão fácil assim contrair a doença através do gato. Alguns passos muito simples podem facilitar o convívio com o gato no período gestacional:
– Nunca alimente seu gato com carne ou vísceras cruas
– Faça a limpeza da caixa sanitária do seu animal pelo menos duas vezes ao dia. Lave a caixa sanitária e troque todo granulado a cada 3-4 dias.
– Lave bem as mãos após a higienização da caixa sanitária do seu animal
– Nesse período de gestação, peça para outra pessoa fazer a limpeza da caixa sanitária do seu gato.
E nunca esquecer que todo animal é um ser vivo, que sente fome, frio, medo e sofre com rejeição. Devemos ser exemplos para nossos filhos. Lembrem-se sempre disso.

Tem concurso rolando no blog! Clique aqui para participar.

One thought on “Papo de Veterinário – Gestantes, crianças e bichos.

Comments are closed.